sábado, 20 de novembro de 2010

Poema da feira


O poema da feira
é o grito.


Na feira se dá o encontro, das cores
sabores, dos cheiros.
Energia pura.
 Brasileiros
que madrugam, que se escutam.

Feira livre
dos pre-conceitos, branco, negro,amarelo,
o mesmo tom, mesma bandeira.

Frutos da terra, frutos da mão,
tudo se encontra,
do céu ao chão.

Feira maneira, menina brejeira,
garapa e pão.

Meu passeio favorito,
feirinha do bairro, feira grande
dos quadros.

Tem coisas em casa, da
feira compradas,
verduras, flores,vassouras,
panos de pratos.


Um comentário:

  1. Lindoooo!!!! Quem é o(a) autor(a)??? Vamos ler essa poesia na cerimônia de entrega dos kits de feira livre que a Secretaria de Estado de Minas Gerais fará nessa segunda-feira dia 29/02, mas precisamos citar a autoria. Por favor me informe no e-mail: thiago.carvalho@agrario.mg.gov.br ou thiago1409@gmail.com. Obrigado!

    ResponderExcluir